Terra e Tempo. Dixital Galego de pensamento nacionalista.
04-05-2022

A minha conclusão depois de ler a esta gente é que o governo de Putin acabou por crerem a súa propia propaganda

O de Ukraina

ALBERTE LAGO VILLAVERDE


Como moita gente que conheço, estava convencido de que Putin não ia invadir Ukraina, que era todo uma táctica para negociar e que o de Estados Unidos era alarmismo. O 24 de Fevreiro quedou bem claro que estava equivocado, e não por pouco. Isto obrigou-me a revisar todo o que cria saber sobre o tema. O que segue é uma recapitulação incompleta das minhas conclusões (ainda assim demasiado longa) desde a perspectiva dum nacionalista galego.

As críticas mais interessantes são as que procedem da própria Russia. Aqui vou citar tres. A primeira é dum analista militar chamado Khodarenok que diz, antes da guerra começar, que a cousa não vai ser fácil e pode acabar moi mal, riram-se del. O segundo ê o general retirado Leonid Ivashov um nacionalista da linha dura, que mesmo falava de que podía significar o final de Russia como estado. Isto parecía uma tolemia no momento, agora parece uma possibilidade. A mais devastadora é um vídeo do jornalista de São Petersburgo Alexander Nevzorov, em russo com subtítulos em inglês no enlace, são dez minutos, e a análise é muito mais selvagem que calqura cousa que poida dizer eu, de ... Abril de 2021. Seica em Russia já o viam vir.

A minha conclusão depois de ler a esta gente é que o governo de Putin acabou por crerem a súa propia propaganda.

Nas reações do nacionalismo galego á guerra da Ukraina há duas palavras que aparecem imediatamente: OTAN e Rusia. De crer aos nossos intelectuais os ucraínos não passam de ser uns títeres da OTAN ou dos Estados Unidos. É a cousa não bem de agora, seica levam sendo uns títeres desde o 2014. Estas reações são de esperar na esquerda espanhola, que é herdeira doutro império, no nacionalismo galego são preocupantes. Um fío entre muitos é este de Gonzalo Lira suponho que este home se cré o que di, mas ver as contorções que fai para apresentar a retirada de Kiiv como uma vitória russa está-me dando ganas de pedir hora no fisioterapeuta.

Os motivos da guerra

Cal foi o motivo de Putin para invadir Ukraina?

Porque podía, ou isso pensava el. Porque Putin é um nostálgico da URSS, não pola URSS ou o socialismo, senão porque foi o Império Russo mais grande. Pode um nacionalista galego apoiar cousas como:


Foi culpa da OTAN por entrar na esfera de influência russa?
Alguém cré que se Ucraina estivesse já na OTAN teria sido invadida? Por que se a resposta é não, então a OTAN não foi a causa da invasão, só a escusa. E as recentes declarações russas falando de enlaçar có encrave de TranSinistria em Moldavia assim o demostram: Moldavia é o outro país vizinho que não está na OTAN.

Isto não é outra atuação imperial dos Estados Unidos?

Estados Unidos é um império mas não é o único. A Federação Russa é outro, herdeira do Império Russo. E a República Popular de China é a herdeira do Império Manchú, nem Tibet, nem Sinkiang, nem Manchuria formaram parte de China. Não é suficiente estar em contra dos Estados Unidos, é preciso analisar cada caso.

Neste caso uma nação (Ukraina) está a se defender dum império (Russia) coa ajuda doutro império (Estados Unidos). E não tem dereito? Os irlandeses também aproveitam a influência americana sempre que podem, e nos ... Quem nos dera!

A Ukraina não fixo um genocidio no Donbass?

Outra escusa: o genocídio do Donbass, 14000 mortos. Efectivamente houvo 14000 mortos no conflito do Donbass: 4.400 das tropas ucraínas, 6.500 dos separatistas e cerca de 3.500 de população civil aos dous lados da linha de contacto. Porque os separatistas também tem artilharia. Só em Mariupol já há mais mortos civis que nos oito anos de guerra no Donbass.

Mas os ucraínos não cumpliram os acordos de Minsk?

Imaginemos que somos independentes da Espanha (imaginar e gratis) mas temos uma sublevação dum grupo separatista numa comarca de fronteira, escolham a sua preferida. Este grupo está apoiado por Espanha, pero é absolutamente falso que Espanha esteja detrás e somos uns fascistas por sugeri-lo. Afortunadamente há um tratado, só temos que ceder-lhes a província enteira, convertir a república galega numa federação e dar-lhes dereito de veto sobre calquer acordo do governo galego. Ah, e o idioma oficial nessa província é naturalmente o espanhol.

Há algum nacionalista galego que aceitasse tal acordo? Pois isso é o que lhe estamos a pedir aos ucraínos que aceitem como solução diplomática.

Crimea aprovou unir-se a Russia num referendo. Isso não é o dereito de auto-determinação?
Certo mas Crimea é uma plantação e as plantações não tem dereito de auto-determinação. A técnica e o nome de plantação vem da política dos ingleses no Ulster: roubar a terra aos irlandeses e instalar colonos de fora, como brazo armado do império, Russia fazia o mesmo. Em Crimea, na época de Stalin, deportaram aos tártaros a Siberia até converti-los numa minoria na súa terra, e trouxeram russos. Igual que a URSS instalou russos em TranSinistria. E Crimea era parte, junto co Kuban, da República Popular de Ukraina entre 1917 e 1921, cum estatuto especial, polos tártaros. O que fixo Khruschev foi devolver a Ukraina parte do seu território. O próprio Putin reconhecia no 2008 que Crimea era parte de Ukraina.

Mentiras e crimes

O governo ucraíno não nos conta toda a verdade mas o dos russos é uma combinação entre fazer-lhe luz de gas a alguém e viver numa realidade paralela. Dous exemplos entre moitos:

Esta é a guerra de Putin a maioría dos russos não estão dacordo.

Tampouco. A maioría dos russos tem uma idea particular da democracia. Cando Putin era primeiro ministro, um grupo de terroristas chechenos, sequestraram um teatro. A solução: matar aos sequestradores e aos sequestrados com gas venenoso. Concretamente morreram 130 dos 850 sequestrados. E Putin ganhou as seguintes eleições presidenciais. Os espanhóis não são os únicos com obsessão polos governantes com mano dura.

Os americanos também cometeram crimes de guerra!

Certo mas os crimes de guerra russos são doutro orde de magnitude. Já fixeram o mesmo em Grozni e Alepo. Isto não é mala sorte nem "danos colaterais", é a maneira russa de fazer a guerra e uma continuação dos métodos do Império Ruso que inclui o Genocidio Circassiano, matanças em Asia Central etc. Os crimes de Stalin contra ucrainos, polacos ou tártaros foram uma continuação dos mesmos métodos.

E como vai rematar isto?

Esta guerra não pode rematar num tratado, porque Putin precisa duma vitoria para seguir no poder. O tsar começou a perder o poder despois da derrota de 1905, a União Soviética sobreviveu dous anos á retirada de Afganistan. Putin precisa uma vitória para o 9 de Maio e já escolheu uma: a toma de Mariupol e a conexão por terra com Crimea. Suficiente para safar de momento. Se os ucrainos não lhe dão algum desgosto antes.

Por isso a declaração de que Mariupol está controlada e não vão atacar a planta de Azovstal. Tradução: não contam com tomar a planta antes do 9 de Maio e por tanto não tem importância, e sim, vão seguir a ataca-la.

E China não vai ajudar a Putin?

China tem a suas propias preocupações. Neste momento há várias cidades em quarentena por COVID, o que implica que China não resolveu o problema da vacinação ou está a tapar outros problemas ou um pouco de cada. Em calquera caso tem cousas mais importantes que fazer.

Ademais, China quería pressionar a Taiwan cuma combinação de promesas e ameaças de invasão para se aproximar a China. Aínda que não pensassem em invadir Taiwan, a ameaça sempre é útil. Mas, despois do espectáculo que está a dar o exército russo em Ukraina, ninguém se crê que China esteja em condições de invadir Taiwan. Não devem de estar moi contentos com Putin.