01:01 Sabado, 16 de Novembro de 2019
Terra e Tempo. Dixital Galego de pensamento nacionalista.

04-11-2019

Hoje o catolicismo perde influência na sociedade galega, quere isto dizer que desaparece o sentimento religioso?

Karma

Valorar (10)

JOÁM LUÍS FERREIRO CARAMÊS


Questionar e pensar som contrários à alienaçom, mas requerem esforço. Apesar de estar no século XXI, nada muda, e cada vez mais nesta sociedade consumista sem limite, onde o liberalismo se impom através duns meios de comunicaçom ao serviço do sistema, deixar-se levar pola corrente esta mais de moda.

Já desde há uns anos em centro e sul América o catolicismo está em regressom, mas nom porque desapareça o poder da religiom, senom porque muda a organizaçom. Cada vez é maior o poder das igrejas evangelistas, nom ocorre em todos os países igual, em algum como o Brasil a velocidade é muita, e há outros sem apenas penetraçom, mas é um feito geral. Estas igrejas evangelistas que tenhem as suas raízes em USA, onde os presidentes rematam os seus discursos com um “deus vos bendiga”. Muda a organizaçom, mudam as formas, incluso a agressividade e o fanatismo de algum dos seus discursos, mas o fundo segue a ser o mesmo. Só deus salva, e por suposto a vida eterna. Mas sempre colaboram com as oligarquias, sempre colaboram na exploraçom do povo, sempre colaboram para que todo sega igual e o “amigo do norte” leve os recursos e a sangue do sul. É verdade que existiu a “teologia da libertaçom” que questionava a exploraçom dos seres humanos, mas sempre dentro dos parâmetros da igreja, rebelde, mas igreja. É dizer só deus salva e a vida eterna.

Supostamente, em Europa, o nível de conhecimentos meio é muito superior, devido entre outras cousas ao maior grao de escolarizaçom. Se este nível de escolarizaçom é mais longo e intenso, devera formar pessoas com consciência crítica, com capacidade para analisar o que os arrodeia e tomar as suas próprias decisons. Ou simplesmente este maior nível o é só para injectar conhecimentos abstractos, formar trabalhadores obedientes, acríticos e fáceis de controlar. Hoje o catolicismo perde influência na sociedade galega, quere isto dizer que desaparece o sentimento religioso?, se por sentimento religioso entendemos ir à igreja e obedecer os seus preceitos si, mas agora há outras cousas que estám de moda, muda a forma mais nom o fundo. A crença em que “algo tem que existir” e de outra vida depois da morte, segue a ser maioritária.

Existe no catolicismo um conceito as bem-aventuranças, bem-aventurados os que sofrem, os que passam fame, incluso os mansos... Onde basicamente e resumindo o que se di e que quanto pior o passes na vida, mais fácil vai ser entrar no reino dos céus, é dizer assume todo o que te venha, nom protestes, sofre, terás vida eterna e verás a deus. Hoje há formas mais modernas, novo conceito e velhos princípios, hoje chama-se karma, nom é preciso participar do catolicismo se finalmente assumes os seus princípios, os que atuam mal de algum jeito o vam pagar, isso deve ser no primeiro do que falam nas cimeiras de Davos e nas reunions da OTAN.

Há umha cousa certa, e que muitos estudos demonstram, a gente realmente crente é muito mais feliz, nom questionar, nada e ter a seguridade de que depois da morte vás viver melhora a qualidade de vida, incluso crer que por rezar (palavras mágicas) a um santo vás curar umha enfermidade também tem o seu efeito. Mas também e certo e está demostrado que os animais em cativerio vivem mais anos que livres na natureza (comida regular, cuidados médicos...). Mas a qualquer animal quando lhe abrem a gaiola nom o pensa e escapa, escapemos nós da nossa gaiola mental, sejamos livres e criemos critério próprio.

Engade o teu comentario:

Os campos marcados con* son obrigatorios.







© Fundación Bautista Álvarez de Estudos Nacionalistas
Terra e Tempo (ISSN 1575-5517)
Avenida de Lugo, 219, 1º, 15703 • Santiago de Compostela • Galiza
981 57 02 65 – info#code#terraetempo#code#gal

A Fundación recibiu unha axuda da Deputación da Coruña na convocatoria de 2018 para a mellora da utilidade de páxina web. Deputación da Coruña