23:12 Mércores, 20 de Novembro de 2019
Terra e Tempo. Dixital Galego de pensamento nacionalista.

07-09-2012

É tam incrível o nível de colonizaçom ao que chegamos que tem que ser desde o nacionalismo desde onde se reclama algo que por lógica e pola nossa saude deveria ser um feito

Que hora é?

Valorar (18)

JOÁM LUÍS FERREIRO CARAMÊS



Apenas estamos a 15 dias do equinócio de outono. Um dia que nom só marca o começo do outono senom também que os dias sejam mais curtos que as noites. Iso é igual em todo o hemisfério norte mas nom é esse o problema, algo natural que se repete ano trás ano e ao que o nosso corpo está acostumado, o problema para nos é se a franja horária na que estamos “metidos” e que rixe todos os horários das nossa vidas se corresponde coa longitude geográfica na que vivemos, e se tem algum efeito positivo ou negativo na nossa saude.

Primeiro saber o que é um fuso horário. Sabendo que umha esfera tem 360º e o dia 24 horas, com umha simples divisom sabemos que cada 15º da circunferência terrestre corresponde-se com umha hora, e dizer, cada fuso horário tem 15º. As divisons entre os fusos horários marcam-se com os meridianos que som umhas linhas que cruzam a terra do polo norte ao sul, o meridiano que marca os 0º é o que passa pola localidade Inglesa de Greenwich. Polo tanto onde estamos nos situados geograficamente a respeito desse meridiano? Galiza está entre os 6º 45' e os 9º 17' oeste. A península Ibérica está entre os 9º 29' oeste e os 3º 18' leste, é dizer 12º 47' de distancia que equivalem a case 50 minutos de diferença de um extremo a outro. De Galiza a Catalunha há uns 45 minutos. Mas Portugal tem umha hora menos com respeito ao horário de Espanha, no que estamos nos incluídos. Outros países com o mesmo horário oficial que nos som: Alemanha, a sua capital está a case umha hora de Greenwich e a mais de hora e meia de nos. Polónia, a sua capital esta a duas horas de nos. Mas todos temos a mesma hora oficial. Nengum pais situado na longitude geográfica na que nos estamos tem a nossa hora oficial, Portugal, Irlanda ou o reino Unido tenhem umha hora menos. O mesmo ocorre em África neste mesmo meridiano, todos umha hora menos.

A Galiza tem um horário oficial, o espanhol também chamado centro-europeio que nom se corresponde coa sua situaçom geográfica do nosso pais, temos umha hora de mais que fai que nom se corresponda o horário oficial com o real. Ademais de que em Europa há já anos que se adianta a hora (no nosso caso o último domingo de Março suma-se umha hora e o último de Outubro sumam-se duas), isso quere dizer que durante o verao o sol pom-se duas horas e meia antes do que marcam os relógios, e quando nos erguemos realmente som também duas horas e meia menos. Até aqui semelha simplesmente um desfase horário, mas é acostumar-se e já esta? Pois nom, tem implicaçons muito mais sérias. Quando Francisco Jorquera solicitava no parlamento espanhol o cambio. Nengum pais situado na longitude geográfica na que nos estamos tem a nossa hora oficial horário da Galiza para o mesmo de Portugal (umha hora menos), os espanhóis riam-se, e os fala-baratos colonizados que inçam as rádios, tv e prensa do nosso pais criticavam a proposta do BNG dizendo que vaia “chorrada” e que eram parvadas de nacionalistas, já se sabe como som estes nacionalistas... Mas é umha cousa muito mais séria que mover para atrás umha hora, é umha questom de saude que vai muito mais alá de qualquer outro condicionante.

Independentemente de que usemos relógios digitais ou de agulhas, de pulso ou de cuco, o nosso corpo tem um relógio próprio que marca os ritmos corporais, o nosso relógio biológico que marca os “ritmos circadianos”. Este relógio determina a nossa temperatura corporal segundo a hora o dia, quando temos fame ou quando nos entra o sono. É algo que está marcado geneticamente, e que nom podemos controlar como os esfíncteres, é dizer, podemos ir contra del mas pagando um preço. Há múltiplos estudos que demonstram que as pessoas submetidas a trabalhos a turno sofrem a longo prazo problemas, especialmente as que fam turnos de noite. A ruptura do ciclo normal de sono e vigília provoca alteraçons no sistema nervoso e hormonal que rematam provocando também outras enfermidades. Nom podemos eludir o nosso relógio corporal sem ter conseqüências.

E que ocorre na Galiza? pois que estamos submetidos a um horário oficial que nom se corresponde com o horário biológico. Por exemplo, no verao umha pessoa que entre a trabalhar ás 06:00 realmente entra ás 03:25, ergue-se cedo para ir trabalhar ou “trasnoita”?. Para um horário normal de entrada a trabalhar ás 08:00 erguendo-se ás 7:00 realmente estamo-lo fazendo ás 04:25. A estas horas o corpo está na fase de sono, já nom é só que o nosso rendimento no trabalho ou estudos nom vai ser o melhor possível, e que ademais estamos alterando o nosso relógio biológico. Estamos obrigados a face-lo ao longo da nossa vida por estar submetidos a um horário oficial que nom se corresponde com o horário real, nom som parvadas. Mas é tam incrível o nível de colonizaçom ao que chegamos que tem que ser desde o nacionalismo desde onde se reclama algo que por lógica e pola nossa saude deveria ser um feito, e nom um simples “chiste” para fala-baratos.


[08-09-2012 08:11] Viterbo comentou:

O título debería ser: ¿Que horas son ? así se fala no galego certo.

[07-09-2012 07:38] Abelardo X del Caño-Varela comentou:

Clarexador artigo...Eu sempre digo, cando falase diste tema, que si os españois tiveran colonizado USA, dende Atlantic City ate San Francisco terían o mesmo horario...Aí queda iso.

Engade o teu comentario:

Os campos marcados con* son obrigatorios.







© Fundación Bautista Álvarez de Estudos Nacionalistas
Terra e Tempo (ISSN 1575-5517)
Avenida de Lugo, 219, 1º, 15703 • Santiago de Compostela • Galiza
981 57 02 65 – info#code#terraetempo#code#gal

A Fundación recibiu unha axuda da Deputación da Coruña na convocatoria de 2018 para a mellora da utilidade de páxina web. Deputación da Coruña